18.2.13

pardais pousam 
nos fios elétricos da minha alma,
eu fico sem calma,
eu quero voar.

renálide carvalho

Sem comentários: