27.3.09


Lambi o cio que descia pelas maçãs do teu rosto
e chupei tua carne até o caroço
desfalecido com teu gozo, embriaguei-me
Você, então, abriu a porta do quarto pobre de hotel
e foi embora
deixou de lembrança o dinheiro da conta e nem uma calcinha a mais.



Renálide Carvalho e David Gracejo

2 comentários:

gracejo disse...

er o puro cio
ocio isso
cio ocio
se isto for

Márcia Leite disse...

ui!

cala
frio.

:*