10.5.08

deitados

era um homem deitado de bruços. de um lado a varanda ,do outro o lago que banhava os cisnes. uma mulher deitada roupa branca , olhos verdes, um tamanco quase azul e a invenção de estarem juntos. nunca se viram enquanto estavam deitados. ela se levantou, pegou um copo com água e disse que não fugiria, ele encolerizado a pegou pelo pescoço e lascou-lhe um beijo.
de suas bocas surgiu um batom vermelho.

1 comentário:

CiCO disse...

Renálide!

não sei se voce vai se lembrar de mim... queria comprar deu livro la em Dinha (no dia em que ela morreu) e não pude porque estava sem dinheiro na hora...

Bom, como eu disse, entrei no blog! muito legal... suas poesias tem um que de especial.. são tão maduras q vc consegue organizar da forma mais bonita a beleza do dia a dia...

parabens!

eu "escrevo" nesses ai ó:
www.c1co.blogspot.com
www.quatrocantosdemundo.blogspot.com

bjos